Artista usa praça e igreja para incentivar hábito de leitura

Projeto Leitura na PraçaTodo primeiro domingo do mês, quem passa pela praça Duque de Caxias, no bairro Santa Tereza, na região Leste da capital, tem uma grata surpresa – o projeto Leitura na Praça. No local, o leitor encontra livros de diferentes estilos e assuntos, para ser lidos gratuitamente ali mesmo, sob as árvores da praça.

O projeto, que tem como objetivo despertar o interesse pela leitura em pessoas de qualquer idade, começou em 2010 com poucos livros, no fundo de uma loja de roupas femininas, no bairro Ipiranga, na região Nordeste da capital, e hoje conta com um acervo com mais de 3.000 exemplares.

Criado pela artista plástica e amante da leitura Estella Cruzmel, 62, o Leitura na Praça cresceu com o apoio de amigos. “Comecei montando uma pequena biblioteca na minha casa e depois iniciei o empréstimo de livros no fundo da minha loja, que fechei em meados do ano passado. Daí senti a necessidade de continuar incentivando as pessoas a lerem, então iniciei, em abril deste ano, o Leitura na Praça, no Santa Tereza, bairro vizinho do Floresta, onde moro”, diz.

Estella mantém o projeto com recursos próprios e conta também com doações, que ainda são escassas, segunda ela. “Por enquanto, recebi apenas a doação de seis livros. Como o projeto não tem patrocínio, às vezes aparecem algumas dificuldades. Meu gasto maior é com o aluguel, que custa em torno de R$ 500 por mês, pois alugo um cômodo de uma casa próxima à praça, para guardar os livros. Como não tenho carro, seria impossível carregá-los”, explica a artista plástica.

O projeto conta com quatro voluntários. É o caso da dona de casa Ana Paula Caldas, 45, que colabora há cinco meses. “É gratificante ver a busca das pessoas pela leitura, ainda mais sabendo que hoje esse hábito está acabando. Outro dia, vi uma família anotando o nome do autor e de um dos livros para tentar comprar. Não existe retorno maior”, avalia Ana Paula.

Ação Pública. A prefeitura da capital mantém um projeto para o incentivo à leitura, o Belo Horizonte – Cidade Leitora. Desde 2010, a iniciativa promove o gosto pela leitura nas 19 bibliotecas municipais da cidade e repassa livros para bibliotecas ou ações comunitárias que estejam relacionadas ao incentivo da leitura.

Fonte: O Tempo

This entry was posted in Artigos, matérias e entrevistas and tagged , . Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentar

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*