BDMG lança linha de crédito para estimular a economia da cultura e do conhecimento

(Foto: Reprodução/Revista do RH)

(Foto: Reprodução/Revista do RH)

Atender às demandas de empresas de economia criativa. Esse foi o mote para a concepção do novo programa do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG): o Minas Criativa. O evento de lançamento contou com a presença do Secretário de Cultura de Minas Gerais, Angelo Oswaldo, e do presidente do BDMG, Marco Crocco.

A linha de capital de giro apresenta condições especiais para as micro e pequenas empresas (que faturam até R$ 30 milhões por ano) que atuam no cenário mineiro gerando cultura e conhecimento nas áreas de audiovisual, música, teatro, livros, jogos digitais, design, moda, gastronomia, dentre outras.

Para Angelo Oswaldo, “a iniciativa do BDMG amplia e fortalece o programa de fomento à cultura estabelecido pelo Governo do Estado. Os diversos editais lançados pela Secretaria constituem um apoio decisivo ao setor, mas o financiamento robustece esse estímulo por reconhecer que o campo da cultura tem energia suficiente para buscar esse tipo de respaldo comum às diversas cadeias produtivas. O BDMG comprova, assim, a maturidade do empreendedorismo cultural em Minas Gerais”.

O presidente do Banco, Marco Crocco, agradeceu pela participação no evento de artistas, produtores e empreendedores culturais e destacou a importância deste lançamento para o desenvolvimento do setor cultural mineiro. “O programa Minas Criativa possui múltiplos significados, sendo que o primeiro e mais importante é que reflete uma mudança na visão do BDMG. Desde que demos início à essa gestão, deixamos claro que, para nós, desenvolvimento não significa apenas renda e emprego. Cultura e conhecimento também são elementos fundamentais para uma sociedade se desenvolver”, disse.

O evento de lançamento contou com apresentação dos MCs Kadu dos Anjos e Roger Deff, e do Dj Flávio Machado.

Minas Criativa

A linha Minas Criativa é diferenciada, pois possui – além de um acesso simplificado (solicitação online) –, taxas a partir de 1,74% ao mês, um limite de financiamento de R$ 100 mil por cliente, prazo de até 48 meses para quitação e, principalmente, carência de até seis meses para começar a pagar.

Todas essas condições foram cuidadosamente avaliadas pelo Banco por meio de reuniões com empresários do setor e análise de pesquisas de mercado para compreender o segmento e suas necessidades, pois o arco da produção cultural é diferente de outras áreas mercadológicas.

“Criar este programa para a economia criativa também reflete uma certeza do BDMG do estágio de desenvolvimento do setor cultural como um todo. O Minas Criativa mostra claramente a confiança que o Banco tem no profissionalismo e maturidade que o setor vem desenvolvendo. Para isso, tivemos muito cuidado em nos alinharmos totalmente à política de cultura do Estado e atendendo às reais necessidades dos profissionais do setor”, esclarece Marco Crocco.

Para saber mais sobre a linha de crédito, acesse aqui.

Fonte: Governo de Minas Gerais

This entry was posted in Artigos, matérias e entrevistas and tagged , . Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: URL pra trackback.

Leave a Reply