Comissão de Bibliotecas Escolares do CRB-6 se reúne para traçar planos para 2017

Legislação que regula a profissão e ação contra Estado foram os temas principais do encontro

Um dos papeis mais importantes do Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região (CRB-6) é a fiscalização. É por meio dela que se busca fazer cumprir por parte das instituições que possuem bibliotecas a legislação que regula a atividade profissional. Por isso, a Comissão de Bibliotecas Escolares, coordenada pela bibliotecária Sindier Antônia (CRB-6/1542), se reuniu para fazer um balanço do trabalho realizado no ano passado e do que está previsto para 2017, além de levar a debate o conteúdo do ofício enviado ao Governo do Estado de Minas Gerais que traz a recomendação para que as escolas reservem a tarefa de gerir as bibliotecas aos profissionais devidamente habilitados. O encontro contou ainda com a presença da assessoria jurídica do CRB-6, que orientou a Comissão sobre o encaminhamento das ações.

Fabíola Terenzi (CRB-6/2588), Sindier Antônia (CRB-6/1542), Marília Paiva (CRB-6/2262), Mariza Martins (CRB-6/1637), Lúcio Tannure (CRB-6/2266), Pollyanna Iara Miranda (CRB-6/3320) e o assessor jurídico Juliano Gonzaga estiveram no encontro (Foto: Mario Lucio)

Na reunião, foi decidido que a Comissão cobrará um retorno da Secretaria de Estado de Educação ao ofício encaminhado pela presidente do CRB-6, Mariza Marins Coelho (CRB-6/1637), para solicitar que o assunto seja debatido.

De acordo Mariza, a Comissão tem papel vital para fortalecer as ações do CRB-6 e da classe bibliotecária em favor do cumprimento da Lei 12.244/10, que prevê que as escolas mantenham bibliotecas e destinem a gestão destes espaços ao profissional bibliotecário. “Vamos solicitar à Secretaria que o trabalho realizado pelo Grupo de Estudo que trata do assunto, em que há duas representantes do CRB-6, dê continuidade aos trabalhos até que possamos encontrar uma solução que contemple os interesses da categoria e do Estado. Também pretendemos solicitar o apoio do Ministério Público para que o Estado seja cobrado a criar o cargo de bibliotecário na Secretaria de Educação.”

This entry was posted in Artigos, matérias e entrevistas and tagged , , , , , . Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentar

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*