Editora cria projeto para imprimir a Wikipedia

Versão em inglês da enciclopédia da internet teria mil volumes com 1,2 mil páginas cada; material quer mostrar força colaborativa

Se impressa, versão em inglês da Wikipedia caberia em estante de 10 metros de largura por 2,5 metros de altura. (Foto: Reprodução)

Se impressa, versão em inglês da Wikipedia caberia em estante de 10 metros de largura por 2,5 metros de altura. (Foto: Reprodução)

Atire a primeira pedra quem nunca passou horas e mais horas navegando entre links e artigos da Wikipedia, aprendendo e buscando novas informações. Agora imagine uma versão impressa desse material todo que você leu. Pois é justamente isso que uma editora alemã chamada PediaPress está tentando fazer.

Através de um financiamento coletivo na plataforma Indiegogo, a editora busca arrecadar US$ 50 mil para imprimir uma versão integral de todos os artigos presentes na versão em inglês da Wikipedia.

De acordo com a previsão da empresa, todos os verbetes juntos devem se concentrar em um material que teria mil volumes, com 1,2 mil páginas cada, tendo de ser dispostos ao longo de uma estante de 10 metros de largura e 2,5 metros de altura – o que é bem mais do que a estante onde a sua a avó devia guardar a Barsa. Cada livro teria páginas numeradas continuamente, de maneira que a última página seria a de número 1.193.014.

Cada volume da Wikipedia teria capa dura e seria impresso em preto e branco, em páginas que teriam três colunas e papel ecologicamente aprovado. A intenção da PediaPress é expor o material na feira Wikimania de Londres, que acontece em agosto de 2014.

Com os US$ 50 mil, seria possível imprimir os mil livros, além de fabricar a estante e transportar a exposição desse material para o Barbican Center, onde acontecerá a Wikimania. Caso a campanha arrecade mais fundos que o necessário, a editora planeja imprimir a atualizações em tempo real do material com novas páginas na exposição, mostrando o poder de atualização da Wikipedia, além de versões a cores e uma turnê do material pelo mundo.

>> Assista ao vídeo

Fonte: Estadão | Bruno Capelas

This entry was posted in Artigos, matérias e entrevistas and tagged , . Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentar

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*