Estudo revela falta de estrutura em escolas brasileiras

Clique na foto para ver o vídeo (Imagem: Reprodução TV Globo/G1)

Clique na foto para ver o vídeo (Imagem: Reprodução TV Globo/G1)

A cada 20 escolas públicas de ensino fundamental no Brasil só uma tem estrutura considerada básica para educar. Faltam bibliotecas e laboratórios.

A cada 20 escolas públicas de ensino fundamental no Brasil só uma tem uma estrutura considerada básica para educar. Um levantamento concluiu que faltam bibliotecas, laboratórios e até tratamento de esgoto.

Na sala de aula, sem luz, a professora só tem um quadro e giz para alfabetizar crianças ribeirinhas das ilhas de Belém. A escola é precária e está sendo atacada por cupins.

A casa de barro mostrada no vídeo é uma escola na zona rural, em Rondon do Pará. Não tem nada: uma das paredes está quase caindo, faltam portas, as salas são pequenas e muito quentes. E só tem um ventilador. O banheiro assusta. Imagens feitas pelos pais dos estudantes mostram como fica o colégio depois de uma chuva.

“Bastante desestimulante, tanto para nós quanto para os alunos. Falta tudo do básico, tudo”, afirmou Dinarlei Souza, professora.

Isso é um exemplo do improviso que se repete na maioria das escolas públicas de ensino fundamental do país. Menos de 5% dos colégios têm infraestrutura adequada. Sem o básico para garantir o conforto de alunos e professores, fica muito mais difícil ensinar e aprender.

“Aqui nada ultimamente está chamando atenção do aluno para a escola”, lamentou Antônia Martins, aposentada.

O Plano Nacional de Educação estabelece sete itens de infraestrutura básica para as escolas, mas um estudo do Movimento Todos pela Educação revelou que só água tratada e energia existem em mais de 80% colégios. Menos da metade das escolas têm bibliotecas, acesso à internet, quadras de esporte, esgoto sanitário. E que só 8% contam com laboratórios de ciências. No Norte, menos de 1% das escolas tem todos os itens.

Essa estrutura das escolas de ensino fundamental é responsabilidade dos municípios. O Ministério da Educação diz que se alguma prefeitura tiver dificuldades pode recorrer ao governo estadual e ao federal.

“A gente pensa a educação não apenas como um lugar onde se aprende diferentes disciplinas, mas aquele lugar onde se formam cidadãos. Como a gente pode pensar isso num local que carece de elementos básicos para a cidadania”, afirmou Alejandra Velasco, coordenadora geral Todos pela Educação.

A secretaria de educação do Pará afirmou que a escola ribeirinha mostrada no início da reportagem vai passar por uma reforma geral. Sobre a escola em Rondon do Pará, a prefeitura declarou que ela foi desativada pra obras.

Fonte: TV Globo | G1

This entry was posted in Artigos, matérias e entrevistas and tagged , , . Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentar

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*