Instituto de Química de São Carlos adota novo conceito de biblioteca

Instituto de Química de São Carlos adota novo conceito de biblioteca

Espaço deixa de ser apenas um lugar de preservação de livros para se tornar um centro cultural e ponto de encontro de pessoas de todas as idades e interesses

Biblioteca é ponto de BookCrossing (Foto: Fábio Boracini)

Biblioteca é ponto de BookCrossing (Foto: Fábio Boracini)

Novas tendências mundiais estão transformando a visão de biblioteca, que passa a ser vista também como um espaço social. Atenta a essas mudanças, a equipe do Serviço de Biblioteca e Informação (SBI) do Instituto de Química de São Carlos (IQSC) da USP, com apoio da diretoria do instituto, iniciou no ano passado um processo de repensar o próprio espaço como um entreposto cultural ou ambiente interativo de aprendizado.

O desafio inicial foi quebrar o paradigma tradicional de biblioteca, deixando de ser uma depositária de acervo para se tornar um espaço que facilita e estimula o acesso – contando com as tecnologias de informação e comunicação – e, dessa forma, repensar um ambiente interativo de aprendizagem. Para tanto, foram sugeridas propostas que atendessem às novas expectativas do público-alvo, que estimulassem a reflexão, a busca e a criação do conhecimento e que também suprissem a falta de um espaço cultural capaz de favorecer a integração e a socialização entre os vários públicos usuários. Mudanças no layout foram implementadas com poucos recursos financeiros, tendo em vista as condições da instituição e de todo o País.

A questão do volume de som permitido foi o ponto-chave para a reestruturação pretendida. Cada um dos três andares – que, somados, ocupam uma área de 1.442 m2 – recebeu uma classificação de nível de ruído, indo do volume normal de uma conversa em grupo no piso térreo até o silêncio absoluto, no último piso.

No térreo, o objetivo é promover a socialização e a integração. Assim, o novo layout abriu o espaço com mesas de conversa em grupo (sim, você pode ir até a biblioteca do IQSC só para trocar ideias) e o novo Espaço de Leitura foi formado. Uma pesquisa com os usuários, utilizando a fanpage da biblioteca, apontou os títulos de livros que eles gostariam de ler, que foram adquiridos e doados pela Comissão de Graduação do IQSC. Agora a comunidade USP tem, além de uma biblioteca especializada, com cerca de 120 mil volumes da área de química, um espaço com obras literárias de diferentes gêneros e autores, incluindo lançamentos, e pode retirá-los por empréstimo.

Segundo Bernadete Figueiredo Filho, do Serviço de Biblioteca e Informação do IQSC, “as alterações nesse piso trouxeram um público novo para a biblioteca. Notamos novos rostos e as mesas de estudo em grupo têm sido ocupadas com maior frequência”.

Disseminar o conhecimento

Piso térreo: espaço para conversa e descontração (Foto: Fábio Boracini)

Piso térreo: espaço para conversa e descontração (Foto: Fábio Boracini)

Outra iniciativa, que fortalece o hábito de leitura, foi transformar a biblioteca num ponto de BookCrossing – movimento internacional definido basicamente pela prática de deixar um livro num local público, para que outros possam ler, sem a necessidade de identificação ou prazo de devolução. “Implementamos mudanças, mas sem perder o foco na disseminação do conhecimento”, comenta Eliana Cordeiro, também do SBI.

O piso intermediário é reservado para conversas moderadas e, portanto, o nível de ruído permitido é menor. Nesse andar, o usuário encontra salas para estudo em grupo e mesas para estudo individual, com tomadas para uso de aparelhos eletrônicos. Em maio deste ano, foi disponibilizada uma Sala Multiuso, com recursos informacionais e multimídia necessários para auxiliar as atividades de ensino, palestras para pequenos públicos e treinamentos.

O terceiro e último piso é dedicado àqueles que buscam silêncio e as coleções dividem espaço com as mesas de estudo individual.

Sugestões e pontos de melhoria são possíveis também através da caixa de sugestões e de mensagens enviadas via internet. Neste ano, foi formado o grupo Amigos da Biblioteca, composto de alunos e funcionários que fazem sugestões e mostram pontos de melhorias. A biblioteca espera, assim, abrir mais um canal de participação e aproximação no âmbito da comunidade do IQSC.

Clelia Dimário, responsável pela equipe do SBI, afirma: “São muitos os nossos desafios para o futuro. Estamos procurando realizar essa reestruturação de maneira que atenda às demandas e expectativas dos nossos usuários e dentro das condições atuais da Universidade. Queremos tornar a nossa biblioteca também um local de integração, um local mais atraente e prazeroso, um ambiente de aprendizagem interativa”.

Mais informações podem ser obtidas no site da Biblioteca do Instituto de Química de São Carlos e na página da biblioteca no Facebook.

Fonte: USP | Sandra Zambon, de São Carlos

This entry was posted in Artigos, matérias e entrevistas and tagged , . Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: URL pra trackback.

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*