Ofício do Conselho Federal de Biblioteconomia em resposta à coluna “Dê adeus às bibliotecas” de Luís Antônio Giron publicada na Revista Época

Texto enviado ao editor geral da Editora Globo, ao editor da Revista Época e ao jornalista autor da matéria referente ao atendimento em biblioteca pública.

1 A coluna do jornalista Luís Antônio Giron, publicada na Edição n. 730 da Revista Época, sob o título “Dê adeus às bibliotecas” aborda questões pertinentes ao fazer do bibliotecário, dos quais cabe expor a posição do Sistema CFB/CRB com relação ao que foi publicado.

2 O autor da coluna retrata uma experiência vivenciada no âmbito da biblioteca pública de seu bairro e, a partir disso, generaliza e denigre a atuação dos bibliotecários no exercício de sua atividade.

3 Inicialmente é oportuno destacar que o Primeiro Censo Nacional das Bibliotecas Públicas Municipais, constituído pelo Ministério da Cultura e executado pela Fundação Getúlio Vargas, apontou que:

a) as 4.905 Bibliotecas Públicas pesquisadas possuem 70 bibliotecários atuando para promover o encontro entre o conhecimento e o usuário. Este total representa 17% do valor cabal de funcionários que atuam neste organismo de cultura: isto implica em afirmar que a maioria dos usuários são atendidos por pessoal não habilitado e não bibliotecários;
b) deste percentual de 17% excluem-se ainda os 11 bibliotecários que atuam na direção das bibliotecas e que, deste modo, não efetuam atendimentos ao usuário, o que diminui ainda mais a possibilidade do jornalista ter sido atendido por um bibliotecário;
c) o censo ainda apontou que 52% do contingente de pessoas que atuam nas bibliotecas municipais não possuem nenhuma formação para trabalharem nestes ambientes.

4 Diante o exposto, o Sistema CFB/CRB considera:

a) dificilmente o jornalista foi atendido por um profissional bibliotecário;
b) na hipótese desse atendimento ter ocorrido por um bibliotecário, é no mínimo intempestiva a assertiva de que o atendimento foi realizado “[…] com aquela suave descortesia típica desta categoria profissional […]. As bibliotecárias, entres suas muitas funções hoje em dia, sentem-se na obrigação de ocultar os volumes.”

5 Ora Senhor Diretor, é sabido que qualquer estudo de natureza científica, o que não é o caso, considerando que se trata de uma observação empírica, a menos que se efetive a compreensão de todo o universo, não permite generalizações. No caso em tela, o jornalista por contato com um único profissional estende ao universo de 30 mil bibliotecários existentes no País, a postura adotada por um atendente e denigre o trabalho de toda categoria.

6 Diante o exposto, solicitamos que seja oferecido ao Sistema CFB/CRB o direito de resposta, conforme determina o artigo 5º da Constituição Federal.

7 Na expectativa de uma breve resposta, colocamo-nos à disposição para qualquer informação que se faça necessária para o célere atendimento da solicitação.
Atenciosamente,

Nêmora Arlindo Rodrigues
Presidente do CFB
CRB-10/820

This entry was posted in Artigos, matérias e entrevistas and tagged , . Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: URL pra trackback.

7 Comments

  1. Janaina de Paula
    Posted 18 de maio de 2012 at 19:10 | Permalink

    Excelente.

  2. Suzel
    Posted 19 de maio de 2012 at 17:10 | Permalink

    Excelente resposta, Nêmora! Exija que o direito à resposta seja do mesmo tamanho que foi a insensatez desse cidadão que acredito que tbém não é um jornalista, pois a profissão dele, sim, foi descaracterizada de profissionalismo.

  3. Priscila Reis
    Posted 21 de maio de 2012 at 11:54 | Permalink

    Caros,
    Espero que o pedido de direito de resposta seja acolhido. É inaceitável q esse inconsequente senhor escape com a reputação ilesa após tão danoso artigo.
    Abraços!

  4. graziela
    Posted 21 de maio de 2012 at 13:20 | Permalink

    Agradeço imensamente a preocupação do CFB/CRB em nos exigir um direito de resposta. Tanto a revista Veja quanto a Época já nos destrataram. Não sei o que fizemos para que eles não nos deixem em paz. Sou bibliotecária e tenho muito orgulho de minha profissão! Sinceramente, minha vontade é de ter uma conversa pessoalmente com esse cidadão. Ele fica falando um monte de besteira em twitter.

  5. JEANE RAMALHO
    Posted 24 de maio de 2012 at 8:24 | Permalink

    Todo jornalista mente.
    Luis Antonio Giron é jornalista.
    Logo, Luis Antonio Giron é um mentiroso.

    Seria antiético usar essa Lógica como exemplo para demonstrar minha indignação com essa matéria sobre as bibliotecas e, particularmente, com o profissional bibliotecário. Contudo, posso refazer essa lógica, vamos lá: Os verdadeiros jornalistas são éticos.
    Alguns jornalistas são antiéticos e mentirosos.
    Luis Antonio Giron é antiético.
    Logo, Luis Antonio Giron é algum desses jornalistas.

    Bibliotecária – Jeane Ramalho CRB/1225

  6. Ivana
    Posted 24 de maio de 2012 at 8:35 | Permalink

    Obrigada por nos representar de maneira célere e pertinente. Aguardamos resposta correspondente à solicitação. Abraço

  7. Christian
    Posted 24 de maio de 2012 at 13:33 | Permalink

    Bem, pelo que se sabe, atualmente não é mais nem necessário um diploma de Jornalismo ou Comunicação Social para que possa desempenhar a função de jornalista. Trata-se, portanto, de uma categorial desqualificada profissionalmente, e pode-se perceber que a falta de exigências de qualificação acadêmica para desempenho da função começa a surtir efeitos lamentáveis.

    A atividade jornalistica envereda por um caminho que faz-nos refletir sobre a credibilidade daquilo que lemos em revistas supostamente “respeitáveis”. Considerando esta perspectiva, aproveito para apontar, quem sabe, um novo ramo a ser desbravado pela nossa categoria de bibliotecários: Seleção de Revistas com Credibilidade Minimamente Tolerável!

    Se este novo ramo de atividade for formalizado em nossas atividades cotidianas em bibliotecas preparem-se! Pois vamos ter muito trabalho para identificar revistas contemporâneas que tenham ética e seriedade em suas publicações!

Postar uma resposta a graziela Cancel reply

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*