Rede social para troca de livros e outras publicações

Aplicativo OpenShelf cria possibilidades de compartilhamento de livros

Acesso. Projeto Ponto de Ônibus ganha versão para celulares e lança aplicativo para troca de livros (Foto: Divulgação)

Acesso. Projeto Ponto de Ônibus ganha versão para celulares e lança aplicativo para troca de livros (Foto: Divulgação)

Da experiência de compartilhamento de livros, realizada nas ruas, nasce a ideia de um aplicativo, uma espécie de rede social de troca de obras e publicações. O OpenShelf, que carrega a noção de uma estante aberta, será lançado nesta terça-feira (20), às 19h, na casa colaborativa Guaja. E para já experimentar a proposta e participar do lançamento, é preciso levar um livro para doação.

A versão para celulares da iniciativa parte do Ponto do Livro, um projeto que surgiu em 2014 com o objetivo de possibilitar o compartilhamento de livros em pontos de ônibus de Belo Horizonte. “Nós colocamos uma estrutura nos pontos. Essa estrutura é adotada por um conjunto de instituições que cuida dela. As pessoas podem colocar livros, assim como levar para a casa a publicação que desejar ler”, conta Pedro Ivo, um dos idealizadores da iniciativa.

O primeiro ponto a ser experimentado estava localizado nas proximidades da Praça da Liberdade. De lá, outros espaços também já receberam a iniciativa como a Savassi e os bairros Serra, Buritis e São Geraldo, em uma distribuição que leva em conta a proximidade das instituições que mantêm a estrutura do Ponto do Livro. Ao todo, 20 locais, divididos em oito cidades, oferecem acesso à experiência.

Pedro Ivo estima que cerca de 40 mil livros já foram compartilhados nos dois primeiros anos do projeto e conta que os pontos seguem o fluxo do trânsito da cidade. “Alguns estão desativados e dependendo da ajuda das instituições”, observa.

Assim, a versão aplicativo torna o abastecimento da estante aberta mais livre, a depender, agora, dos próprios usuários. “A ideia é sair do ponto de ônibus e estar dentro das casas e dos bolsos das pessoas. A ferramenta é simples. Se você tem um livro que quer doar, você pode compartilhá-lo, cadastrando a obra em uma estante coletiva. Os livros são mostrados pela geolocalização. O usuário vê as opções que estão mais próximas dele. Se ele interessou, abre um chat para que o interessado e o doador combinem a melhor forma de entrega da doação”, conta Pedro.

“Livros transformam pessoas e elas transformam o mundo. Nossa ideia é transformar pelo conhecimento”, completa.

Agenda

O quê. Lançamento do aplicativo OpenShelf

Quando. Nesta terça-feira (20), às 19h

Onde. Guaja Casa (av. Afonso Pena, 2.881, Funcionários)

Quanto. Um livro para doação

Fonte: O Tempo | Joyce Athiê

This entry was posted in Artigos, matérias e entrevistas and tagged , , , , , . Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: URL pra trackback.

One Comment

  1. Posted 20 de dezembro de 2016 at 19:19 | Permalink

    Excelente iniciativa! Parabéns!!!

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*