Restauração da cultura indígena é discutida por Bibliotecária no 1º Simpósio Científico Icomos – Espirito Santo

 

‘Riscos ao Patrimônio: Cenário no Espirito Santo’ foi tema geral do evento, entre dias 15 e 18 de outubro

(Crédito: divulgação)

O Simpósio Científico do Icomos estabelece um panorama sobre o patrimônio capixaba na contemporaneidade. Contextualizando questões territoriais compreendidas a partir da Economia, Política, Cultura e Natureza, o evento escolheu como tema para sua primeira edição no Espirito Santo os ‘Riscos ao Patrimônio: cenário no Espirito Santo’, entre os dias 15 e 18 de outubro de 2019, em Vitória (ES).

A programação apresentou  temas relacionados à conservação, restauração e à construção da memória dentro do cenário capixaba em debates e apresentações ao longo dos quatro dias. A palestra ‘Fazenda do centro: da expulsão dos jesuítas pelos índios puris ao auge da produção cafeeira, da decadência e abandono à restauração e reconquista do seu lugar de memória na história do município de Castelo/ES’, apresentada pela Bibliotecária Maria Aparecida Stelzer (CRB-6 ES/000843), surge de uma investigação sobre acervos para possíveis projetos de restauração. Maria conta que ser Bibliotecária auxiliou muito na pesquisa, tornando mais dinâmica e profissional a busca por informações tão específicas.

Ela observou que a atuação do Bibliotecário envolve um extenso campo de pesquisa e levantamento de informações, sendo fundamental para a recuperação da história indígena e, portanto, na construção da memória de um povo que vive às margens da sociedade. “Precisamos conhecer e respeitar a cultura indígena. Vivemos tempos de intolerância, de preconceitos, de polarização de ideologias e só venceremos esse triste momento com informação de qualidade, com pesquisas sérias, que possam ser revertidas em educação”, avaliou.

O Icomos Espirito Santo – Núcleo Estadual do Conselho Nacional de Monumentos e Sítios – é uma organização não governamental regional, associada ao Icomos Brasil, organismo consulto do Comitê do Patrimônio Mundial para a implementação da Convenção do Patrimônio Mundial da UNESCO. A missão é promover a conservação, proteção, uso e valorização de monumentos, centros urbanos e sítios.

This entry was posted in Artigos, matérias e entrevistas and tagged , , , . Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: URL pra trackback.

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*