Um cinema privê na praça

Iepha resgata sala de projeção do Palácio da Liberdade e estuda recuperação de filmes encontrados na edificação

Aconchegante e com clima intimista, sala de projeção tem 25 poltronas estofadas ao estilo modernista (Foto: Reprodução)

Aconchegante e com clima intimista, sala de projeção tem 25 poltronas estofadas ao estilo modernista (Foto: Reprodução)

Patrimônio tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais, o Iepha, o Palácio da Liberdade inclui um espaço de cinema que acaba de ser recuperado. Trata-se de uma sala de projeção construída nos anos 40, no governo de Benedito Valadares.

Em um levantamento sobre o estado de conservação do Palácio da Liberdade, o Iepha, novo órgão gestor do Circuito Cultural Praça da Liberdade, identificou que a sala de cinema estava sendo utilizada como local para guardar materiais que não estavam sendo utilizados. “Além de outros pequenos problemas, como os cupins no piano de cauda, danos pequenos em alguns mobiliários, a gente percebeu que o Palácio traz essa dificuldade de não ter uma sala para reserva técnica, para guardar objetos e outros itens, e a sala de cinema acabou recebendo esse uso”, avaliou Michele Arroyo, presidente do Iepha.

Ela conta que a sala de projeções foi adaptada no Palácio da Liberdade para atender a família e os convidados dos governadores, em um período em que, além de local para despacho, o Palácio servia também de residência para o governador do Estado. “A sala é pequena, equipada com 25 poltronas tradicionais dos anos 40, com estilo modernista. São poltronas de madeira, com estofado, espaldar mais alto e ornamentos também dessa tradição estética. Encontramos também um projetor norte-americano, vindo de Chicago e adquirido por Juscelino Kubitschek. É um projetor de arco voltaico, um sistema de projeção para filmes de rolo, com varetas de carvão que você precisa queimar para fazer o sistema rodar”, explica.

No inventário, foram encontrados também 13 rolos de filmes em mau estado de conservação. Os filmes foram entregues ao Arquivo Público para recuperação do material. “Pelo que já foi possível ver até agora, alguns desses rolos contêm registros de cerimônias de posse de governadores, mas ainda não sabemos se será possível recuperar esses filmes”, adianta Michelle.

Entre os planos do Iepha está também a recuperação do projetor para que ele seja colocado em funcionamento em situações especiais. Para uso cotidiano, a sala contará com novo equipamento de projeção. “Esta sala é importante porque mostra como determinados modos de vida vão sendo trazidos para dentro do Palácio. Esta é uma história relevante de ser contada e, mais ainda, importante que ela seja preservada e apropriada por novos projetos de uso”. Michele afirma que, após a reabertura do Palácio da Liberdade, ainda sem data definida, a sala será utilizada para atender as demandas do governador, visitação do público e em projetos específicos como, por exemplo, o Noturno nos Museus.

Novos usos. Desde a criação da Cidade Administrativa, os despachos dos governadores são realizados no Palácio Tiradentes, mas, segundo Michele, o Palácio da Liberdade volta a ser utilizado pelo governador em momentos pontuais. “O governador já voltou a despachar no Palácio da Liberdade. Tendo em vista uma aproximação com o cidadão, cumprir essa agenda na Cidade Administrativa torna-se inviável. Assim, o Palácio volta a ter centralidade para despacho do governador em determinadas situações, o que, para o patrimônio, é uma boa notícia. Mantém-se a sede na Cidade Administrativa, mas, em situações especiais em que o governador entender a centralidade do Palácio, ele será utilizado, marcando, de novo, a presença do governo na praça da Liberdade. A edificação histórica terá, então, um uso compartilhado com ações do governo e também como espaço museológico para visitação”, afirma a presidente do Iepha.

Cinema. A sala de projeções do Palácio da Liberdade já está recuperada e poderá ser utilizada em ocasiões especiais (Foto: Reprodução)

Cinema. A sala de projeções do Palácio da Liberdade já está recuperada e poderá ser utilizada em ocasiões especiais (Foto: Reprodução)

O Palácio da Liberdade foi construído em 1897, com traçado neoclássico e com mesclas de estilos arquitetônicos. À época, os jardins, que também são patrimônio tombado, representavam prolongamentos da praça da Liberdade, sem haver entre a edificação e a praça as grades que hoje cercam o Palácio. “As grades do Palácio foram introduzidas em determinado momento por questões de segurança. A retirada delas é uma proposta interessante, mas que precisa ser mais bem estudada, e nós faremos um plano diretor para o Palácio que incluirá os usos do jardim, e essas questões podem ser consideradas”, antecipa Michele.

Fonte: O Tempo | Joyce Athiê

This entry was posted in Artigos, matérias e entrevistas and tagged . Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Um Comentário

  1. Posted 16 de julho de 2017 at 10:24 | Permalink

    Muito bom esse projeto de cinema na praça. aqui na minha cidade também tinha um cinema publico assim, mas com o passar do tempo o cinema da praça fechou, mas seria uma boa se reativasse aqui para pessoas curtindo um cinema com a família e muito bom!

Comentar

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*