Como matemático inventou há mais de 150 anos a fórmula de buscas usada pelo Google

A principal obra de George Boole (1815-1864) foi "Uma Investigação das Leis do Pensamento" (1854) [Foto: Reprodução/BBC World Service]

A principal obra de George Boole (1815-1864) foi “Uma Investigação das Leis do Pensamento” (1854) [Foto: Reprodução/BBC World Service]

Cada vez que você faz uma busca simples no Google ou em qualquer outro buscador informático, entre os mecanismos de programação que permitem encontrar o que procura há princípios de lógica que foram concebidos há mais de 150 anos.

Foi o matemático britânico George Boole (1815-1864) que inventou um sistema de álgebra que é chave para a programação de hoje.

Boole foi homenageado nesta segunda-feira, no 200º aniversário de seu nascimento, com um Google Doodle, uma versão modificada do logotipo na página da empresa.

O logotipo animado ilustra as chamadas portas lógicas, que são usadas em computação e derivam de funções booleanas.

A álgebra de Boole, ou álgebra booleana, é uma estrutura algébrica que esquematiza as operações lógicas, e está presente em todas as partes: desde a programação por trás dos videogames até o código dos aplicativos e programas de computador que usamos.

Pode-se dizer que os tijolos que formam a programação, que são os comandos ou instruções dadas a um sistema informático, são todos baseados na lógica de Boole.

“Se você é um programador não há como escapar do operador booleano”, afirma Michael Dunn, da Gospelweare, uma desenvolvedora de aplicativos para iOS e Android.

E, OU e NÃO

As peças fundamentais da programação, que são os comandos e instruções dadas a um sistema informático, são baseadas na lógica de Boole (Foto: Thinkstock)

As peças fundamentais da programação, que são os comandos e instruções dadas a um sistema informático, são baseadas na lógica de Boole (Foto: Thinkstock)

Durante os últimos 17 anos de sua vida, George Boole estabeleceu o conceito de lógica algébrica em matemática e simplificou o mundo em enunciados básicos que tinham “sim” ou “não” como resposta, usando a aritmética básica nessa tarefa.

“As interpretações respectivas dos símbolos 0 e 1 no sistema de lógica são Nada e Universo”, disse o matemático.

Esse conceito, que ele introduziu em 1847 e expandiu sete anos mais tarde, é o que está presente nos programas atuais de informática.

“Há um enunciado booleano quase a cada duas linhas de um programa informático, é uma parte totalmente integral da programação”, afirma Dunn.

Boole usou o conceito de portas lógicas, ou perguntas, que exploram um enunciado.

As portas lógicas mais básicas são, na linguagem original de Boole, E (“AND”, no original em inglês), OU (“OR”) e NÃO (“NOT”).

Em seguida, essas três portas podem se combinar para criar enunciados mais complexos.

O logotipo do Google ilustra as portas lógicas usadas em computação e que são derivadas das funções de Boole: as letras se acendem baseadas na lógica das portas abaixo delas (Foto: Google)

O logotipo do Google ilustra as portas lógicas usadas em computação e que são derivadas das funções de Boole: as letras se acendem baseadas na lógica das portas abaixo delas (Foto: Google)

Deste modo, quando se busca na internet por “Miley Cyrus”, por exemplo, há um uso implícito da lógica booleana do comando E para combinar as duas palavras, “Miley” e “Cyrus”.

Muito antes do Google, nos primeiros anos das buscas por computador, era comum usar os comandos E, OU e NÃO para filtrar os resultados.

Hoje, os avanços na tecnologia de buscas fazem com que muitas delas possam se realizar usando uma linguagem mais natural.

Ainda assim, o Google ainda permite aos usuários escrever E ou incluir o símbolo de subtração para afinar os resultados.

Impacto histórico

Boole morreu há 150 anos, aos 49 anos.

Em 1864 ele ficou muito doente após se encharcar sob a chuva ao caminhar até o lugar em que dava aulas.

Morreu em 8 de dezembro daquele ano, por um derrame pleural, acúmulo de água nos pulmões.

O próprio Boole tinha certa noção do impacto histórico que seu sistema de lógica poderia ter.

Em 1851 ele disse a um amigo que a lógica booleana poderia ser a “contribuição mais valiosa, se não a única, que fiz ou que provavelmente farei à ciência, e é o motivo pelo qual desejaria ser lembrado, se é que serei lembrado, postumamente.”

E assim aconteceu – como lembra a animação no maior buscador do mundo.

Fonte: BBC

This entry was posted in Boletim Eletrônico CRB-6 and tagged , , . Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentar

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*