CFB estabelece valores da anuidade de 2016

O Conselho Federal de Biblioteconomia (CFB) estabeleceu, por meio da resolução 159/2015, os valores de anuidade para o próximo ano, tanto para profissionais como para pessoas jurídicas. Confira:

– Profissional: R$ 406,41

Pessoa Jurídica: de acordo com as seguintes faixas de capital social, conforme Art. 6º, III, da Lei Nº 12.514/2011:

FAIXA CAPITAL SOCIAL (R$) ANUIDADES

  • Até 50.000,00 – R$ 616,61
  • De 50.001,00 a 200.000,00 – R$ 1.379,74
  • De 200.001,00 a 500.000,00 – R$ 1.847,50
  • De 500.001,00 a 1.000.000,00 – R$ 2.462,95
  • De 1.000.001,00 a 2.000.000,00 – R$ 3.078,40
  • De 2.000.001,00 a 10.000.000,00 – R$ 3.695,00
  • Acima de 10.000.001,00 – R$ 4.925,9

Os profissionais que optarem por realizar o pagamento integral da anuidade terão desconto, conforme calendário:

– Até 31 de janeiro de 2016 – 15% (quinze por cento)

– Até 28 de fevereiro de 2016 – 10% (dez por cento)

– Até 31 de março de 2016 – 5% (cinco por cento)

Para mais informações, entre em contato com o CRB-6 pelo e-mail crb6@crb6.org.br.

NOTA 5

 

Quitação da anuidade de 2015

Para os bibliotecários que ainda não efetivaram o pagamento da anuidade de 2015, a taxa ainda pode ser paga integralmente no valor de R$ 428,10, ou parcelada em até três vezes, com pagamento limite para o dia 31 de outubro.

As informações estão disponíveis aqui.

Browse the Boletim archive. Bookmark the permalink. Trackbacks are closed, but you can post a comment.

9 Comments

  1. Marcos Silva
    Posted 29 de setembro de 2015 at 13:12 | Permalink

    406 reais, uma anuidade para um bibliotecário. Isso é um absurdo. Existe uma grande parcela de bibliotecários que não chegam a ganhar 1000 reais por mês e o nosso conselho estipula uma anuidade de 406 reais. Sinceramente, em nenhum momento eu me sinto representado por esse conselho, que sempre faz vista grossa quando se trata da profissão. É fácil estipular 406 reais de anuidade se baseando em salários de bibliotecários bem remunerados, mas é difícil reconhecer que grande parcela de bibliotecários não trabalha em sua cidade natal e ganha e ganha 900, 1000, 1500 reais.
    Esse conselho indiferente não me representa em nenhum momento. Eu nunca vi e ou fiquei sabendo de alguma fiscalização do CRB. Essas fiscalizações podem até acontecer, mas só mediante denúncia, e se for constatado que há o bibliotecário no local, somente isso basta, pois o conselho nunca leva em consideração a exploração dos bibliotecários, ou se a quantidade de profissionais é ideal. Na maioria das bibliotecas existem apenas 1 bibliotecário, e em muitas delas, colaboradores fazem os serviços de profissionais formados, por que os bibliotecários que ali trabalham são insuficientes para tanto serviços; há outras instituições que possuem vários campus, porém existe apenas um bibliotecário para coordenar tais bibliotecas, e isso acontece aí mesmo em Belo Horizonte, onde fica a sede do CRB6.
    Acho que o conselho deveria se aproximar mais do profissional, marcar visitas em bibliotecas sem que fosse feito denúncia e conversar com os profissionais, mas na prática, isso não tem acontecido, porque desde quando eu fiz o meu registro, nunca nenhum membro do conselho me procurou.
    Deixo aqui a minha indignação

    • Eros Cioletti
      Posted 28 de janeiro de 2016 at 8:57 | Permalink

      Prezado Marcos, Concordo plenamente com a sua colocação. Este é um valor que se paga sem nenhum retorno. Sem transparência. A realidade dos bibliotecários é: salários baixos, tanto nas capitais quanto no interior, desvalorização da função, desconhecimento da importância do trabalho. E o CRB não faz nada para divulgar a nossa profissão junto à sociedade e só se faz lembrar em 2 momentos do ano: quando chega a época de cobrar a anuidade e do dia do Bibliotecário qdo. faz uma comemoração sem atrativos que não motiva ninguém a comparecer. A gestão não é participativa. E é jogar R$406,00 ao vento, o que representa boa parte do desvalorizado salário. Valor abusivo e nada condizente com a realidade e creio que este deveria ser calculado sobre o salário do profissional e não um valor único.

      • admin
        Posted 28 de janeiro de 2016 at 15:21 | Permalink

        Prezado Eros,

        nos informe, por favor, seu registro no CRB-6 para que possamos analisar sua demanda e enviar o retorno mais adequado aos seus questionamentos.

        Equipe CRB-6

    • admin
      Posted 6 de novembro de 2017 at 12:25 | Permalink

      Prezado Marcos,

      Primeiramente, é importante destacar que as anuidades são fixadas pelo Conselho Federal de Biblioteconomia, devendo os Conselhos Regionais realizar as cobranças das mesmas. O CRB-6 não tem autonomia e não é nossa função estabelecer a anuidade.

      As denúncias são priorizadas no momento em que fazemos o nosso planejamento de visitas, no entanto também realizamos as fiscalizações em instituições que não foram denunciadas.

      Peço, se possível, que encaminhe as denúncias das instituições que não contam com bibliotecários para que possamos fazer as vistorias.

      Vale destacar que a legislação que regulamenta a nossa profissão não estabelece o número de bibliotecas que um bibliotecário pode atuar. Existe apenas a Resolução CFB n.199/2011 que dispõe sobre os parâmetros para as bibliotecas escolares. Esta resolução cita o estudo GEBE/UFMG como padrão para este tipo de biblioteca e informa que um bibliotecário pode atuar em até 4 unidades. No entanto, ainda não existe os parâmetros para os demais tipos de bibliotecas, sendo esta uma demanda dos Regionais ao Federal, pois é o CFB que tem autonomia para criar as resoluções.

      A atual gestão do CRB-6 tem se aproximado dos profissionais, inclusive todos os bibliotecários são convidados para participar das plenárias, caso tenham interesse. A intenção é que os profissionais participem! Abaixo cito os convites que foram realizados:

      http://blog.crb6.org.br/boletim/colabore-com-a-gestao-do-crb-6/

      http://blog.crb6.org.br/artigos-materias-e-entrevistas/reuniao-plenaria-do-crb-6-recebe-bibliotecarios-convidados/

      A sua participação será muito útil e bem-vinda!

      Por último, lembro que os colegas que fazem parte da gestão do CRB-6 também são bibliotecários e todos pagam a anuidade, inclusive este bibliotecário fiscal que lhe escreve.

      Para demais esclarecimentos estou à disposição.

      Atenciosamente,

      Lúcio Alves Tannure
      CRB-6/2266
      Bibliotecário Fiscal|Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região
      Telefax.: 31 3222-4087|31 3224-8355|31 3213-5644
      Acesse o nosso site: http://www.crb6.org.br

  2. Gabriela Pinheiro
    Posted 18 de dezembro de 2015 at 8:21 | Permalink

    Concordo e muito com as palavras do Marcos Silva. Os CRB’s em geral são muitos flexíveis com a fiscalização de bibliotecas sem profissionais. Gostaria que o CRB 6 atuasse de forma mais eficiente na fiscalização de bibliotecas, e divulgasse com maior frequência as vagas disponíveis resultantes da fiscalização.

  3. Posted 31 de janeiro de 2016 at 10:17 | Permalink

    Olá

    É chegada de mais um ano para nossas vidas e principalmente para nossa classe.
    E com esse ano outra mensalidade já chegou!
    Quero saber quando estará definido jornada de trabalho e nosso piso salarial ?
    Todo ano peço melhorias para classe, mas parece que minha voz fica no vaco e vou me conformando pela insatisfação e tristeza de algo que não posso mudar, parece que o melhor caminho é o concurso publico com salario e carga horária definida pelo edital. O valor para mensalidade está muito alto para poucas melhorias e interações entre a classe.

    Anseio por melhorias!

    • admin
      Posted 1 de fevereiro de 2016 at 17:23 | Permalink

      Prezada Lauriana,

      Os Conselhos Profissionais são responsáveis pelo registro e fiscalização da profissão nos Estados a qual pertencem. Questões salariais e jornada de trabalho são de responsabilidade exclusivamente sindical. Como na nossa jurisdição (que compreende os Estados de Minas Gerais e o Espírito Santo) ainda não existe sindicato de bibliotecários, não existe piso salarial obrigatório.

      Em alguns casos questionamos os salários que são oferecidos, principalmente em concursos públicos, quando o salário do Bibliotecário é inferior aos demais cargos de nível superior.

      Para demais esclarecimentos estou à disposição.

      Atenciosamente,

      Lúcio Alves Tannure
      CRB-6/2266
      Bibliotecário Fiscal | Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região
      Telefax.: 31 3222-4087|31 3224-8355|31 3213-5644
      Acesse o nosso site: http://www.crb6.org.br

    • Adriana
      Posted 21 de março de 2017 at 10:03 | Permalink

      Eu prestei concurso passei e fui chamada para atuar como bibliotecária da Biblioteca Publica de Botucatu SP e mais 6 Ramais 4 dela com estagiários isolado ganhando 350,00 trabalhando como monitor e aux serviços gerais.
      Na biblioteca central havia aux serviço gerais (2) e monitor (1) trabalhando como bibliotecario (restauração, catalogação e bibliotecário chefe da ramis) denunciei para CFB, CRB8 e Sindicato, não obtive ajuda e faltando 3 dias para ser efetivada fui exonerada (3 anos) .
      A avaliação começou com a saída do ultimo estagiário da Bib Central , para sabotar a avaliação a Prefeitura impediu a contratação de novos estagiário no total de 3 na Central, e para não pedir ajuda aos usuários da Bib Central mudou de local , depois de 2 meses sem a instalação do computador ocorreu a comissão de avaliação que preferiu gastar 40 minutos da minha avaliação em ouvir a aux de serviços gerais (restauração) em porta fechada do que ver fotos do meu trabalho. No qual ao assumir em junho de 2013 encontrei a biblioteca suja (extrangulada, etiquetas empodrecidas) só conseguir arrumar a biblioteca graças a SABEP um instituição criada pelas funcionarias para captar dinheiro alegando a Prefeitura não possuia recurso para Biblioteca o que era mentira.
      Resumindo uma visita do CRB8 em 2015 e no começo de 2016 (antes da biblioteca mudar) teria acabado com o crime de assedio
      Mas sabendo que não teria ajuda do CRB e CFB e sabendo que a prefeitura iria me mandar embora prestei concurso em outra prefeitura que pedi a fiscalização dela no total foram 4 Cidades, mas segundo o CRB8 mandou agora em 2017 pedido feito no final do ano de 2015.
      Sei que cada CRB tem sua responsabilidade, mas todos prestam conta ao Tribunal de Conta principalmente CFB. Vocês não são responsáveis pela atitude CRB8 mas uma negligencia de um fere a reputação de todos.

  4. Maria José
    Posted 3 de novembro de 2017 at 14:28 | Permalink

    Prestei concurso para uma prefeitura onde o salário de bibliotecário para trabalhar 40h semanais era a metade do salario de professor e outros cargo que a carga horaria era de 25h semanais. Questionei o prefeito o porque desse salário ele disse que não tinha uma base de salario para bibliotecário pois era o primeiro concurso feito nesta cidade e também disse que procurou o CRB6 para ter uma noção de salario e nem deram resposta! Também concordo om Eros Ciolettiom principalmente a respeito da anuidade baseada no salario do bibliotecário pois não temos um piso salarial, dessa maneira o conselho vai conhecer a realidade do bibliotecário. Tudo que eu consegui até agora como bibliotecária não tive ajuda de conselho! A unica coisa que fizeram é mandar meu nome para protesto em cartório por causa de atraso na anuidade que não consegui pagar.

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*