Conheça a Biblioteca Luiz de Bessa

Fundada em 4 de  junho de 1954, a Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa é uma da principais do Estado. Localizada no Circuito Cultural Praça da Liberdade, em Belo Horizonte (MG), é considerada “biblioteca modelo” pelo Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas Municipais de Minas Gerais.

NOTA 1.1 - crédito Juninho Motta - fachada

Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa. Foto: Juninho Motta

A diretora do espaço, Alessandra Soraya Gino Lima (CRB-6/1772), conta que, inicialmente, a Luiz de Bessa funcionava na Rua Saturnino de Brito, em frente à rodoviária de Belo Horizonte. À época, o acervo reunia 22 mil volumes, que permaneciam restritos aos setores de processamento técnico, referência e empréstimo domiciliar.

Em 1961 a biblioteca foi transferida para o prédio que ocupa atualmente, em obra realizada pelo então Governador Juscelino Kubitschek e projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Hoje tem aproximadamente 570 mil volumes entre livros, revistas, jornais, jornais históricos, cds, fitas cassete, livros em braile, entre outros.

A Luiz de Bessa está instalada em dois prédios: a sede na Praça da Liberdade, nº 21, tem 5.699 m²; o prédio Anexo Professor Francisco Iglésias, na Rua da Bahia, nº 1889, possui 3.622 m² de área. Para mantê-la organizada, a biblioteca conta com 103 funcionários, entre os quais 25 bibliotecários.

NOTA 1.2 - Alessandra Soraya Gino Lima, diretora da Bilbioteca Publica Estaudal Luiz Bessa (Small)

Alessandra Soraya Gino Lima, diretora da Biblioteca Publica Estadual Luiz de Bessa, ladeada pela coordenadora do Educativo da Biblioteca, Maria Helena Evaristo, e Luciana Squárcio Purysco, que realizou palestra na instituição

Preciosidades

No vasto material disponibilizado pela Luiz de Bessa, Alessandra conta que existem algumas preciosidades. “Todo acervo é muito importante, mas não podemos desconsiderar alguns itens. No setor de coleções especiais, por exemplo, temos alguns tesouros, como um incunábulo de 1453 e 15 ilustrações de Gustave Courbet”, relata.

O incunábulo – cuja nomenclatura é atribuída às edições produzidas nos primeiros anos da tipografia – apresenta capa original em madeira revestida em couro, com florões e fecho de metal.

Já Jean Désiré Gustave Courbet foi um importante pintor francês do século XIX, considerado um dos principais representantes do Realismo nas artes plásticas.

“Concordia Discordantium Canonum”, de Graciano, é a obra mais antiga e cobiçada que integra a coleção da Luiz de Bessa. Graciano foi um célebre canonista italiano, nascido no século XI, em Chiusi, na região de Toscana. A primeira impressão dessa obra foi feita em 1471. Outras 66 impressões seguiram-se no período de um século.

NOTA 1.3

O incunábulo é a obra mais antiga e cobiçada que integra a coleção da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa

Outro destaque, de acordo com Alessandra, é o setor de braille. “Este ano o setor completou 50 anos e possui mais de três mil itens disponíveis. O acervo é de suma importância, uma vez que contribui com a socialização dessa parcela da população, levando mais opções de leitura”.

Ponto de encontro 

“Hoje as bibliotecas mudaram e servem como ponto de encontro das pessoas, por isso a importância de a gente ir além e buscar sempre novas oportunidades de interagir com a comunidade e seu entorno”, observa a bibliotecária.

Para seguir atraindo um público cada vez maior e diversificado, ela acredita que os eventos realizados na Luiz de Bessa têm importância essencial. “As bibliotecas cumprem um papel muito maior do que apenas emprestar livro. Além de trabalhar com a leitura literária e incentivar o gosto por ela, somos também corresponsáveis pela construção da cidadania. E nesse contexto os eventos são importantes para disseminar o sentimento de pertencimento entre as pessoas. Afinal, as bibliotecas pertencem aos cidadãos. Por meio dos eventos, o público descobre novas opções de atuação, de escolha. As pessoas acabam participando mais até da vida da cidade”.

Os sete setores em que a biblioteca é dividida recebem uma média de 25 mil pessoas todos os meses. Nesses espaços são realizados cerca de 50 eventos mensalmente cada mês, sempre focados no público a que cada um deles trabalhasse dirige. 

NOTA 1.4

Setor de Referência e estudos. Foto de Juninho Motta

Setores da Biblioteca Pública Estadual Luiz Bessa

– Referência e estudos: se diferencia dos demais setores de referência comuns por ter uma sala de estudos, onde as pessoas podem usar seus próprios materiais.

– Empréstimo domiciliar

– Infantojuvenil

– Braille

– Coleções especiais

– Hemeroteca histórica: possui jornais e revistas históricos, datados a partir de 1825

– Periódicos

NOTA 1.5 - setor Braille crédito Laura Tartaglia

Setor Braille. Foto de Laura Tartaglia

Coleção Mineiriana preserva memória do Estado*

A Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa inaugurou no dia 1º de setembro o ciclo de palestras Encontros com a Leitura, evento anual que chega em 2015 à sexta edição. O objetivo é colocar em discussão a leitura, o livro e a biblioteca pública, sob diversos aspectos. Neste ano, o tema do evento – Mineiriana: 46 anos preservando a memória e a história de Minas Gerais – propõe uma reflexão e presta uma homenagem à Coleção Mineiriana da Biblioteca, dedicada a textos sobre o Estado, escritos por autores que aqui nasceram ou viveram.

Na abertura, o escritor, professor e crítico literário Sérgio Alcides proferiu a conferência Marcos da Poesia em Minas. O autor abordou a poesia produzida no estado para além de seus traços locais. Ele apontou, em mais de três séculos de cultura, alguns marcos desse modo de estar em solo mineiro e ao mesmo tempo habitar uma “república das letras” imaginária, de fronteiras cosmopolitas, muito mais do que alterosas.

*FonteSecretaria de Cultura do Estado de Minas Gerais

NOTA 1.6 - 11259743_965712860157996_7072910385813052567_n

Programação:

– 08/09, terça-feira, 17h

Mesa de debates:

Ricardo Giannetti – Aspectos da arte mineira no século XIX

Walderez Simões Costa Ramalho – Mineiriana e suas mineiridades

Mediação: Eliani Gladyr da Silva, coordenadora das Coleções Especiais da Biblioteca

– 15/09, terça-feira, 17h

Mesa de interações:

Liga de Autores Mineiros Alternativas de publicação no século XXI: Como se tornar um escritor independente

– 22/09, terça-feira, 17h

Ana Virginia Pinheiro – A biblioteca exibida: do livro raro à formação de coleções especiais

Mais sobre a Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa

Como pegar livros emprestados

Voluntários leem para deficientes visuais na Biblioteca Luiz de Bessa

Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa comemora 60 anos

Setor Braille da Biblioteca Pública recebe homenagem pelo seu cinquentenário

Vídeo sobre a Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa

Serviço:

Horário de Funcionamento:

– Coleções Especiais e Hemeroteca Histórica: de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

– Braille, Periódicos e Infantojuvenil: de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. Aos sábados, das 8h às 12h.

– Empréstimo, Passarela Cultural, Referência e Estudos e Sala de Estudos: de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. Quinta-feira: horário estendido até às 20h. Aos sábados, das 8h às 12h.

– Galeria de Arte Paulo Campos Guimarães: de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h. Aos sábados, das 8h às 12h.

– Teatro José Aparecido de Oliveira: ver programação.

– Telefone: (31) 3269-1166

– Facebook: https://www.facebook.com/bibliotecaluizdebessa

Browse the Boletim archive. Bookmark the permalink. Trackbacks are closed, but you can post a comment.

Um Comentário

  1. Cleide Fernandes
    Posted 8 de setembro de 2015 at 9:22 | Permalink

    Sinto-me realizada profissionalmente por trabalhar na BPE Luiz de Bessa. Uma biblioteca modelo!

Comentar

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*