“Eu gosto de bibliotecas”

Apaixonado por literatura científica

Embora esteja matriculado no curso de Geografia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), João Vieira descobriu na biblioteca da Faculdade de Letras (FALE) seu pequeno paraíso, como diria Jorge Luís Borges. Segundo ele, é “a melhor biblioteca da UFMG que você respeita”. “Eu gosto de bibliotecas”, observa, sinalizando ser um assíduo frequentador de bibliotecas.  O estudante utiliza o espaço para estudar, pois em casa costuma se distrair com a TV ou o videogame. Confira a conversa que tivemos com ele!

João afirma ter grande interesse por novidades (Foto: Arquivo Pessoal)

João afirma ter grande interesse por novidades (Foto: Arquivo Pessoal)

Como se deu a sua “entrada” no mundo da leitura? Como é a sua relação com livros?

Na verdade eu nunca tive muita paciência com leituras literárias, principalmente romance e outros estilos de ficção. Não que eu jamais os leia, pelo contrário, tenho me esforçado para ler assuntos mais variados. Mas os filmes sempre foram mais atrativos para mim, talvez em razão do meu déficit de atenção – leio uma frase e já estou pensando em algo completamente desconexo do assunto.

A literatura científica, por sua vez, me atrai muito mais, porque me desperta o interesse de compreender um determinado fenômeno. Logo, pesquiso sobre o assunto e passo horas lendo. Sejam livros, revistas, jornais ou textos online, estou sempre lendo sobre os fenômenos da natureza e da humanidade.

Como era a biblioteca da escola onde você estudou? Havia bibliotecário lá? Se sim, fale um pouco sobre ele.

Havia basicamente best-sellers, alguns livros sobre curiosidades e fatos, alguns clássicos, livros de leitura obrigatória para os vestibulares e, principalmente, didáticos. Os bibliotecários acabavam se ocupando na maior parte do tempo em manter a disciplina, afinal, estamos falando de uma biblioteca dentro de um colégio de ensino médio. Mas também eram muito solícitos nas pesquisas.

Como você “descobriu” a biblioteca da Faculdade de Letras?

Por meio de uma amiga que me convidou para estudar lá.

Por que “aeroportos e bibliotecas são os melhores lugares do mundo” para você?

Porque são dois lugares em que você se depara com o novo. Eu tenho grande interesse por novidades, novas culturas, novas paixões. Não que eu vá aderir a elas, mas saber que elas existem e conhecer sua essência já me satisfaz.

O que outras bibliotecas universitárias em geral podem aprender com sua experiência na biblioteca da Faculdade de Letras?

Podem aprender a organizar melhor o espaço interno para atender a demanda dos estudantes. A biblioteca da Letras tem cabines isoladas para estudos em dupla e em grupo. As discussões que esses grupos ou duplas de trabalho desenvolvem não afetam a concentração dos outros usuários.

Na biblioteca da Letras o silêncio também é mais respeitado do que nas demais. Algumas bibliotecas da universidade chegam a ter funcionários ouvindo rádio durante o expediente. Nada contra, mas que usem um fone de ouvido.

Há algo que você não goste na biblioteca da Faculdade de Letras?

Moramos num país tropical e todas as bibliotecas da UFMG pecam em termos de conforto térmico, inclusive a da Letras.

Há algum bibliotecário (a) com o qual você normalmente tenha contato? Há algum profissional na biblioteca que a seu ver se destaque?

Eu tenho certa dificuldade de localizar livros e outros materiais de consulta, por isso, sempre peço a ajuda de um bibliotecário. Outro dia precisava conferir uma dissertação de mestrado na biblioteca do Instituto de Geociências (IGC) e não a encontrei. Recorri aos bibliotecários e fiquei muito contente pelo esforço que fizeram para localizá-la e me explicar o caminho percorrido até que um material como aquele chegue às estantes. Infelizmente não me lembro de nomes.

Você tem déficit de atenção. O que as bibliotecas em geral devem fazer para oferecer o melhor ambiente para pessoas como você?

A biblioteca restringe certos comportamentos que nos distanciam do nosso foco. Você olha para os lados e vê apenas livros, enquanto em casa eu me distraio com coisas que são mais interessantes de fazer do que cumprir as tarefas acadêmicas. É mal visto você ocupar uma mesa e uma cadeira na biblioteca para assistir vídeos e séries, enquanto outras pessoas poderiam estar usando aquele espaço para estudar e trabalhar. O ambiente da biblioteca requer uma postura adequada e uma seriedade maior.

Fora da UFMG, qual a sua relação com bibliotecas? Há alguma que você goste? Há alguma que você tenha vontade de conhecer?

Eu gosto de livrarias. Adoro ler títulos de livros, resumos e pensar na possibilidade de comprá-los.

A título de curiosidade, adoraria descobrir quais segredos são guardados nos livros das bibliotecas do Vaticano e nestas localizadas em importantes edifícios de governos.

Qual o melhor livro do mundo? Por quê?

Para quem acha que eu sou amante dos grandes clássicos da literatura, dos best-sellers, sinto decepcioná-los. Eu sou apaixonado pela natureza, pela ciência, então a literatura científica é a que me satisfaz. Sobretudo os livros de geografia, ciência à qual me dedico.

Browse the Boletim archive. Bookmark the permalink. Trackbacks are closed, but you can post a comment.

Comentar

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*