Projeto Vivaleitura divulga vencedores do prêmio

O Vivaleitura reconheceu iniciativas de fomento à leitura desenvolvido por instituições públicas e comunitárias em diversos estados brasileiros

NOTA 6

Estimular projetos de incentivo à leitura, desenvolvidos em diversos estados brasileiros. Esta é a proposta do Prêmio Vivaleitura, uma iniciativa dos ministérios da Cultura (MinC) e da Educação (MEC), desde 2006. Este ano, a premiação já divulgou as ações escolhidas que se destacaram pelas iniciativas e atividades. Confira, abaixo, a lista dos vencedores divulgada pelo MEC.

Na categoria 1, “Biblioteca Viva”, o projeto “Tornar visíveis os invisíveis, um desafio instigante: experiência da Biblioteca Pública Municipal Avertano Rocha e do Centro Pop”, do pequeno distrito de Icoaraci, de Belém (PA), foi o grande vencedor. O espaço conseguiu atrair moradores de rua para diferentes atividades na biblioteca, como oficinas, exibição de filmes, saraus literários e empréstimo de livros e CDs. Um dos fatores para o sucesso da iniciativa o acordo de confiança para empréstimos, sem a exigência de comprovante de residência.

Na categoria 2, “Escola Promotora de Leitura”, o primeiro lugar ficou com a Escola Municipal de Ensino Fundamental Leocádia Felizardo Prestes, da Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre (RS). O projeto “Pacto pela Leitura – Formação de Pais Leitores”, coordenado pelas professoras Cláudia Sepé e Sandra Holleben, levou os pais dos alunos de uma área de grande vulnerabilidade social a participar, ativamente, das atividades de leitura com os filhos em fase de alfabetização. O intuito foi fazer que a prática não se esgotasse na escola e se tornasse um hábito de toda a família, o que motivou os adultos a voltarem a ler e acompanhar seus filhos.

Na categoria 3, “Territórios da Leitura”, quem levou o prêmio foi o projeto “Literatura Cura”, do Instituto Chamaeleon, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) de Brasília (DF), que usa a leitura como instrumento para ajudar a curar traumas em crianças e adolescentes, vítimas de abuso e violência sexual, e em mulheres que sofreram agressão moral e psicológica. Atividades como curso e oficinas de contação de histórias, produção de textos, criação de poesia e leitura dramática foram realizadas no espaço com acompanhamento de psicólogos e pedagogos, capacitados para o gerenciamento e acompanhamento dessas ações.

Já na categoria 4, “Cidadão Promotor de Leitura”, reconheceu o projeto “À Flor da Pele”. Coordenado por Marli Silveira, sua proposta é promover criatividade, humanização e desenvolvimento intelectual das detentas do Presídio Regional de Santa Cruz do Sul (RS), por meio da elaboração de revistas e filmes, que foram o resultado de oficinas de textos, poesias, rodas cantadas, saraus poéticos e tardes de leitura realizadas com as participantes.

O projeto Exposições Literárias Itinerantes, do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de Minas Gerais, recebeu a menção honrosa José Mindlin.

Browse the Boletim archive. Bookmark the permalink. Trackbacks are closed, but you can post a comment.

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*