Departamentos jurídicos corporativos focam cada vez mais na estratégia da informação

É natural acreditar que os departamentos jurídicos das empresas estejam somente envolvidos com processos, fóruns e advogados, entre outros temas. De acordo com o advogado Mauro Scheer Luís, do escritório Scheer Advogados Associados, a função desta área se torna cada vez mais desafiadora. “O departamento jurídico assumiu nos últimos anos uma função estratégica dentro das organizações e necessita de advogados com visão de empresário, além das áreas específicas do Direito”, explica.

Com a globalização, a competitividade aumentou, razão pela qual há investimentos maciços em novos produtos. Mas, por outro lado, os custos pressionam cada vez mais alguns setores da economia, o que encarece o produto e os serviços e gera reclamações e milhões de processos por parte do consumidor. Com o crescimento, aumentou também o número de funcionários nas empresas e, consequentemente, cresceu o número de ações trabalhistas. Com o objetivo de diminuir esta demanda, as organizações têm investido muito na captação de informações que restrinjam ou antecipem a possibilidade de passivos.

“Dentre as diversas informações importantes estão, por exemplo, detectar a razão pela qual um consumidor não foi atendido satisfatoriamente pelo SAC, gerando uma demanda judicial; descobrir o porquê de um defeito no produto; quais os produtos e serviços que são maiores geradores de demanda; em quais circunstâncias de defesa o índice de sucesso nos processos é maior, entre outros dados que possam prevenir qualquer litígio”, afirma o advogado.

Essas informações são coletadas em uma amostra da carteira de processos com a finalidade de eliminar ou diminuir geradores de falhas de desempenho que motivam passivos. Por essa razão, segundo o advogado Mauro Scheer Luís, especialista no assunto, seu escritório tem atuado cada vez mais na estratégia de informação, e menos nos processos em si. Portanto, os advogados foram chamados a pensar não só como advogados, mas também como empresários, agindo estrategicamente em conjunto com outros setores da companhia, buscando soluções inovadoras e alternativas dentro dos marcos legais.

Fonte: Information Management

This entry was posted in Artigos, matérias e entrevistas and tagged . Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: URL pra trackback.

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*
*