Defasagem de bibliotecários em Minas Gerais

A lei federal 12.244, de 2010, determina que até 2020 todas as escolas tenham uma biblioteca e de acordo com dados do Censo 2013, cerca de 93% das escolas de Minas Gerais possuem esses espaços. Entretanto, faltam bibliotecários com formação superior para atender a demanda. Para Antônio Afonso (CRB-6/2637), presidente do Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região (CRB-6), Minas precisaria de 15 mil profissionais para atender as demandas do Estado caso a lei fosse cumprida, mas apenas dois mil bibliotecários estão registrados no Conselho.

Alegando limitação de recursos, as administrações do Estado e dos municípios investem no auxiliar de biblioteca, profissional de nível médio. Segundo a Secretaria Municipal de Educação, Belo Horizonte possui 43 bibliotecários de nível superior para atender às bibliotecas públicas e às presentes nas 190 escolas municipais.

Quanto às 3.674 escolas estaduais, a Secretaria Estadual de Educação não informa o número efetivo de bibliotecários, limitando-se a apenas informar que as instituições de ensino “contam com um professor com dedicação exclusiva para uso de biblioteca” e que foram iniciados estudos para adequar-se à legislação.

Nota3

Somente no primeiro semestre deste ano, o Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região (CRB-6), que também fiscaliza a atividade profissional, autuou 12 escolas no Estado. Em 2013, as irregularidades estiveram presentes em 54 instituições. Para Antônio Afonso, a situação agrava-se no interior do Estado e a defasagem de bibliotecários é consequência da falta de investimentos na educação pública e privada. “A biblioteca precisa do bibliotecário. Senão, ela é um depósito de livros”, acrescenta.

Pesquisa

Belo Horizonte possui o melhor número de livrarias por habitante: 13.848. Os dados são de uma pesquisa recentemente realizada pela Associação Nacional de Livrarias (ANL) e coloca a capital mineira na liderança do ranking nacional. Por outro lado, o número de bibliotecas na cidade ainda é muito baixo se comparado ao número de livrarias.

Juntas, as regiões Sul e Sudeste concentram 74% dos espaços comerciais dedicados a livros. A média brasileira foi de uma livraria para cada 64.954 habitantes, índice muito aquém do recomendado pela Unesco, que é de 1/10 mil.

Browse the Boletim archive. Bookmark the permalink. Post a comment or leave a trackback: URL pra trackback.

7 Comments